CLARINETE / CLARONE

O Clarinete e o Clarone pertencem a um grupo de instrumentos chamados transpositores, o que, em poucas palavras, pode ser resumido da seguinte forma: A nota escrita (na partitura) é diferente da nota verdadeira: isso por causa da afinação própria do instrumento. Sendo assim, é necessário que haja uma transposição de notas para que o instrumento toque no tom real da música. Isso trouxe facilidade aos músicos, pois o clarinete possui uma extensão de notas muito grande. 

O timbre do Clarinete é muito diversificado. Na região grave, chamada de chalumeau o timbre é aveludado, cheio e obscuro; no registro médio, há uma mudança fantástica, pois o timbre se torna brilhante e expressivo. Conforme o registro vai-se tornando agudo, o timbre vai-se tornando cada vez mais brilhante, e ganhando uma natureza humorística, sarcástica.

A grande capacidade de expressão do Clarinete tornou-a um instrumento de grande prestígio em diversos tipos de estilos. No Klezmer, é que podemos ouvir os solos mais sarcásticos e “humorísticos” deste instrumento. No Brasil, este instrumento é bastante utilizado na execução de choros, e em grupos de sambaserestas e na própria MPB. Além disso, é claro, o Clarinete e o Clarone têm grandes repertórios eruditos. 

O Clarinete é atribuído na classe das madeiras devido ao som, não ao material de fabricação.

O aluno matriculado no curso de Clarinete recebe como cortesia uma aula semanal de Teoria e Percepção Musical.